Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2011

Frase do dia

Era necessário que o heróico se tornasse quotidiano e o quotidiano heróico Papa João Paulo II, Nurcia, 23 de Março de 1980

O jogo

DESTAK |28 | 04 | 2011   09.10H João César das Neves | naohaalmocosgratis@fcee.ucp.pt A classe política em geral tem dado uma triste imagem de si própria nesta crise. Pondo sempre a táctica eleitoral à frente do interesse nacional, repetidamente recusa a evidência mais patente, fomenta as ilusões mais tontas, omite as reformas mais candentes. Agora, apesar de instada por múltiplas individualidades, mostra-se absolutamente incapaz de acordar uma estratégia de salvação nacional, insistindo na chicana e agressividade que, na grave emergência, só podem ser infantis. É essencial compreender que isto é resultado da atitude popular durante décadas. Há muito tempo que jornais, conversas de café, opiniões de blogs têm instilado uma atitude cínica, desconfiada, boçal e quezilenta na nossa vida pública. Como nos tempos de Rafael Bordalo Pinheiro e d' As Farpas de Ramalho, esperamos o pior dos nossos dirigentes. Daí só pode nascer o pior. Ansiamos por políticos sérios, competentes, dedicados. Mas…

Frase do dia

Uma coisa morta pode ir com a corrente, mas só uma coisa viva pode ir contra ela G. K. Chesterton

A transparência cristã de João Paulo II

Imagem
Em preparação para a nossa participação pessoal no acontecimento da beatificação do Venerável Papa João Paulo II, o Povo reúne sobre o título Beatificação do Papa João Paulo IIconteúdos de natureza diversa que nos podem ajudar a fazer presença da sua estatura humana e da sua vida de santidade. O dossier não está ainda terminado e por isso a indicação “em construção”.

Javier Echevarría , i-online  27 de Abril de 2011

Qual foi o segredo da eficácia evangelizadora deste Papa extraordinário? É evidente que Wojtyla foi um defensor incansável da dignidade humana
Opções
a- / a+ Votar: Rating: 0.0 EnviarImprimirComentarRecomendarPartilhar8Share VídeoFotografiaAudioHá anos que se ouvem testemunhos de jovens, e menos jovens, que se sentiram atraídos por Cristo graças às palavras, ao exemplo e à proximidade de João Paulo II. Com a ajuda de Deus, alguns empreenderam um caminho de procura da santidade sem mudar de estado, na vida matrimonial ou no celibato, outros, no sacerdócio ou na vida religiosa. S…

Este é o post 3000 do Povo

Beatificação do Papa João Paulo II

Beato João Paulo II - Edição especial da Agência Ecclesia

Os Príncipes

Público, 2011-04-25 Filipe Anacoreta Correia A enorme onda da realidade vai destruir grande parte das seguranças ilusórias em que nos apoiámos
Na Florença renascentista, Maquiavel afirmava que "nas acções dos Príncipes, em que não existe tribunal a que recorrer, o que importa é o sucesso das mesmas". "Procure, pois, um Príncipe, vencer e manter o Estado: os meios serão sempre julgados honrosos e por todos louvados, porque o vulgo sempre se deixa levar pelas aparências e pelos resultados, e no mundo não existe senão o vulgo; os poucos não podem existir quando os muitos têm onde se apoiar".
Vem isto a propósito do calendário político que se vive em Portugal e de como o mesmo tem sido sublimemente conduzido pelos actuais responsáveis partidários. Um dos aspectos que mais impressionam na trágica situação nacional que atravessamos é que, paradoxalmente, ela resulta da enorme competência e engenho político dos seus protagonistas.
José Sócrates tem gerido a crise como um po…

Ainda sobre o 25 de Abril

Público 2011-04-25 João Carlos EspadaAs democracias nunca prometeram o paraíso porque não são acerca de resultados. São acerca de regras de conduta
O melhor sintoma da vitalidade de uma democracia adulta reside em não se falar dela. Esse é o sintoma de que uma democracia se tornou aquilo que de facto é: o regime político normal entre povos civilizados.
Numa democracia adulta, as pessoas discutem políticas rivais e comparam as vantagens e desvantagens em adoptar uma ou outra. Mas não põem em causa, obviamente, o sistema de regras que lhes permite discordar e discutir livremente. A esse sistema de regras que permite a discussão e escolha livres chamamos democracia, mais exactamente democracia liberal.
Em regra, é isso que se tem passado entre nós nos últimos 37 anos, se descontarmos o período do chamado PREC e suas sequelas. É por isso um tanto ou quanto aborrecido começar a ouvir umas vozes dizendo que, perante a crise a que chegamos hoje, não valia a pena ter havido o 25 de Abril. Afi…

A libertação

Público 2011-04-25 Miguel Esteves Cardoso Se não fosse o 25 de Abril este jornal não existiria e as primeiras dez palavras desta crónica não poderiam ser publicadas. Tal como o Pesach, que lembra a fuga dos judeus da escravidão do Egipto, o 25 de Abril significa a liberdade. De escolher, mal ou bem.
Todos os dias, excepto ao sábado, recebo um mail do Chabad.org que me dá a Daily Dose, umas palavras inspiradoras que o Rabbi Tzvi Freeman condensa da obra sábia sabedoria do Rabbi Menachem Mendel Schneerson, o Lubavitcher Rebbe. Cito, para bem de cada um, atendendo a Freud e ao 25 de Abril, o recado antigo que recebi sexta-feira passada:
"Em cada um de nós há um Egipto e um Faraó e um Moisés e uma Liberdade numa Terra Prometida. E, a cada momento no tempo, há uma oportunidade para outro Êxodo.
"O Egipto é um lugar que te prende a quem tu és, impedindo-te de cresceres e de mudares. E o Faraó é aquela voz dentro de ti que goza com a tua vontade de fugir, dizendo-te: "Como po…

A árvore de Páscoa

DN 2011-04-25 JOÃO CÉSAR DAS NEVES A raiz é o egoísmo. O fruto é a solidão. O tronco, ramos, folhas e flores são muitos. Vários com nomes maravilhosos: direitos humanos, liberdade individual, realização pessoal. Envenenados pela raiz, os grandes valores apodrecem e infectam. O fruto é sempre a solidão. Vimos o desejo nobre de a igualdade social acabar nos morticínios da guilhotina jacobina; o desejo sublime da afirmação cultural nacional cair na chacina do holocausto nazi; a ânsia magnífica da justiça económica descambar no horror do gulag soviético. Quanto mais elevados os propósitos, mais monstruosas as aberrações distorcidas pela seiva peçonhenta da raiz soberba. O pior de todos os ramos coube-nos em sorte. Pior porque toca o mais íntimo do ser humano, a família. Corrompidos os mecanismos sociais no século XVIII, os regimes políticos no século XIX, os sistemas económicos no século XX, hoje as entranhas egoístas da árvore atacam a vida pessoal. Entretanto, a humanidade já expeliu muito …

Mensagem Urbi et Orbi do Papa Bento XVI (Páscoa de 2011)

Pensamento do dia

Mas se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã é também a vossa fé” (1 Cor 15,14-15). [...] A fé cristã fica de pé ou cai com a verdade do testemunho segundo o qual Cristo ressuscitoudos mortos. Se se suprimir isto, certamente que ainda se poderá recolher da tradição cristã uma série de ideias dignas de nota sobre Deus e o homem, sobre o ser do homem e o seu dever-ser (uma espécie de concepção religiosa do mundo), mas a fé cristã estará morta. Nesse caso, Jesus [...] deixará de ser o critério de medida; o critério será apenas a nossa avaliação pessoal, que escolherá do seu acervo aquilo que pareça útil. E isto significa que ficaremos abandonados a nós próprios. A nossa avaliação pessoal será a última instância. Somente se Jesus ressuscitou é que aconteceu algo de verdadeiramente novo, que muda o mundo e a situação do homem. Então Ele, Jesus, torna-Se o critério em que nos podemos fiar; porque, então, Deus manifestou-Se verdadeiramente. Bento XVI O Povo deseja a todos os seus …

Domingo de Páscoa

Imagem
Ressurreição Piero della Francesca 1463-65 Mural (fresco e têmpera), 225 x 200 cm Pinacoteca Comunale, Sansepolcro

Homilia do papa Bento XVI na Vigília Pascal de 2011

O dia do silêncio

O Sábado Santo é por excelência o dia do silêncio. É o dia de Cristo Morto que põe à prova a esperança: aquela certeza no futuro por força duma certeza presente. Desta só é possível fazer memória, porque o Sábado Santo é o dia onde o reconhecimento da Sua presença se torna difícil. Até as igrejas estão despidas e não há qualquer celebração litúrgica. Só nos resta mesmo a solidão da oração silenciosa. No mundo que vivemos é cada vez mais difícil, porque as rádios e as televisões, as lojas e o rebuliço da vida parecem fazer esquecer este drama maior da humanidade: Aquele em quem toda a Esperança espera está morto!   Mas ao mesmo tempo, misteriosamente, o nosso tempo assemelha-se ao que aconteceu há dois mil anos: só os que lhe eram mais próximos viveram a angústia deste dia; todos os outros, Jerusalém inteira, guardavam o sábado ritual em preparação da Páscoa; neste nosso tempo, a preparação da Páscoa, é sobretudo, a preparação de uma festa, de cujo significado já nem se está recordado ou q…

Pilha-galinhas

João Pereira Coutinho Correio da Manhã, 2011-04-23
O caso Fernando Nobre fez tremer o país pensante. O caso Ricardo Rodrigues não inquietou uma alma. Entendo. Uma coisa é um convite inábil a uma personalidade inábil. Outra, bem mais tolerável, é ter como cabeça-de-lista pelos Açores às próximas eleições legislativas um cavalheiro que furta gravadores a jornalistas com inegável talento manual; e que o Ministério Público vem agora acusar de crime de atentado à liberdade de imprensa e crime de atentado à liberdade de informação. Estas duas medalhas, reforçadas pelas imagens do acto, seriam um bilhete de regresso, em qualquer democracia respeitável, para que o sr. Rodrigues continuasse a sua carreira nas doces pastagens de onde veio. Entre nós, são o bilhete de volta à dignidade parlamentar. Tivesse Fernando Nobre seguido esta escola e jamais teria dito por aí que vira em tempos uma criança a correr atrás de uma galinha para lhe roubar o pão que trazia no bico. A história seria outra: ele p…

Sábado Santo - Descida aos infernos

Imagem

Sobre o silêncio

Vigilia de Oração Fátima Beatificação Papa João Paulo II

Imagem
Beatificação de João Paulo II: Fátima em vigília mundial de oração
No próximo dia 1 de Maio, Bento XVI presidirá, no Vaticano, à beatificação do seu antecessor, João Paulo II. O Santuário de Fátima associa-se em júbilo a várias celebrações e iniciativas que estão a ser preparadas, algumas com expansão mundial.
30 de Abril – Santuário de Fátima em vigília mundial de oração
Televisão unirá cinco lugares do mundo Na noite de 30 de Abril, às 19:00 de Lisboa, numa organização do Vicariato de Roma, o mundo vai unir-se em oração. Intitulada “Totus Tuus – Vigília de Oração em preparação da beatificação de João Paulo II”, a iniciativa terá um forte impacto, uma vez que juntará cinco lugares diferentes, através da televisão:
- a Basílica de Guadalupe, no México;
- o Santuário de Kawekamo, na Tanzânia;
- o Santuário de Fátima; em Portugal
- Cracóvia, na Polónia;
- o Santuário de Nossa Senhora do Líbano, em Beirute. Em cada uma destas cidades será recitado um mistério do Rosário, difundido em tempo rea…

A Quadragesimo Anno revisitada

Público 2011-04-22 Glória Rebelo O fim da sociedade é, assegurando as exigências da justiça distributiva, proporcionar aos seus membros bem-estar social
Acentuada pela actual crise financeira internacional, a Europa enfrenta uma fortíssima crise identitária acompanhada de grandes mudanças socioeconómicas que passam, sobretudo, por saber responder a desafios estruturais como a globalização, a sustentabilidade dos recursos naturais ou, ainda, o envelhecimento da população. Em particular a União Europeia (UE) vive o momento mais desafiante da sua história: responder com eficácia, e de forma coesa, a uma devastadora crise do capitalismo financeiro que, de forma inédita, vai conduzindo ao colapso financeiro não só de famílias e empresas mas também de países, originando uma gravíssima crise económica e social.
Daí que se torne premente uma reflexão sobre a denominada "economia virtual", muito assente nos implacáveis veredictos das agências de rating que, não obstante os erros de av…

Sexta-feira Santa - Deposição no túmulo

Imagem
Hyeronimus Bosch A deposição no túmulo
1507
Ink and grey wash, 250 x 350 mm British Museum, London

Palavras do Papa no fim da via-Sacra no Coliseu

O legado de Afonso Costa e as manobras de José Sócrates

Público 2011-04-22 José Manuel Fernandes Muita coisa se tem escrito sobre o centenário da Lei da Separação do Estado e das Igrejas, mas não me lembro de a ver referenciada como uma das armas políticas criadas por Afonso Costa para garantir a hegemonia dos radicais na chamada "República Velha". Porém, como Vasco Pulido Valente explicou, a Intangível - assim ficou conhecida a lei, e não por acaso - foi bem mais do que "o mais odioso acto da facção jacobina": foi também um instrumento para os exaltados da propaganda submeterem os moderados e tomarem conta do movimento republicano e do Estado. Ora a forma como os radicais então manobravam tem curiosos e significativos paralelos com as intrigas políticas dos dias que correm.
O objectivo político da Intangível não era apenas o de humilhar os católicos - algo que conseguia na perfeição, ao colocar os padres na dependência de uma "pensão" do Estado, ao proibir qualquer cerimónia litúrgica depois do sol-posto ou ao…

Sobre a verdade - alocução de D. Manuel Clemente na celebração da Paixão do Senhor

Três tempos, três Vias-Sacras

MARIA JOSÉ NOGUEIRA PINTODN 2011-04-21
Na minha família sempre se rezou a Via-Sacra às três em ponto da tarde de Sexta-Feira Santa. As mulheres da casa ocupavam-se do altar improvisado sobre a lareira da sala, cumprindo uma hierarquia de idades. Com o passar dos anos os mais velhos foram partindo e uma nova geração veio preencher as fileiras e fomos sendo sempre mais e mais. Um missal do Séc. XIX passava de mão em mão para que todos participassem nas leituras. Era um livro com a lombada gasta, de que caíam muitos santinhos, escrito numa linguagem gongórica e totalmente desconhecida da nossa prol nada e criada no post Vaticano II. Em todas as Estações abundava a frase "Vós, misericordiosíssimo Senhor", o que provocava inevitáveis tropeços na leitura. Era uma cerimónia doméstica, terna e, apesar de alguma informalidade, muito devota.
No início da década de noventa o missal foi substituído por um molho de folhas dactilografadas, textos escritos por um grupo de pessoas muito di…

Sexta-feira Santa - Crucifixão

Imagem
Pietro Cavallini c. 1308 Crucifixão Fresco
San Domenico Maggiore, Nápoles

Sexta-feira Santa - Caminho para o Calvário

Imagem
Abel Grimmer 1593 Jesus carrega a cruz a caminho do Calvário óleo sobre painel de carvalhol, 108,5 x 114 cm Groeninge Museum, Bruges

Reencontro com João Paulo II

Uma proposta da sua rádio… dias antes da beatificação de Karol Wojtyla. Dia 26 de Abril, no Auditório da Renascença, em Lisboa não perca a exibição de um documentário sobre o Papa que mudou o mundo. “No coração de João Paulo II”… um documentário da autoria de Aura Miguel para ver às 3 da tarde ou às 9 e meia da noite. Duas oportunidades para ouvir também a jornalista da Renascença que sempre acompanhou de perto João Paulo II. Reserve já o seu lugar. Envie um e-mail para: passatempo@rr.pt

"Já gastámos as palavras pela rua"

Público 2011-04-25  Helena Matos 37 anos depois do 25 de Abril
Talvez tenha sido porque estive a arrumar papéis para os impostos, actividade que materializa a sensação de perda, pois, ano a ano, ganha-se menos e paga-se mais. Ou talvez a culpa seja daquela palavra troika repetida à exaustão em todos os noticiários: a troika ia para aqui, a troika ia para acolá, a troika chegava uns minutos antes da hora prevista... Enfim, tem sido um fartar de troika na rua, troika no automóvel, troika a entrar no elevador. E uma pessoa olha e só vê umas criaturas mudas - a troika -, os jornalistas frenéticos tentando obter uma declaração da troika, os carros a partirem levando a troika para longe da nossa vista e deixando-nos na angustiante dúvida se, mal se viu a salvo do nosso olhar, a troika perdeu a compostura calvinista e desatou a rir de nós, da nossa aflição e do ar decadente de tudo isto.
Há uns dias, poucos, verborreia equivalente era gerada pela expressão "dívida soberana". De cada …

Quinta-feira Santa - O beijo de Judas

Imagem
Giotto
1304-06
A Prisão de Cristo (O beijo de Judas)
Fresco, 200 x 185 cm
Cappella Scrovegni , Padua

Quinta-feira Santa - Agonia de Jesus no horto

Imagem
Agonia de Jesus no Horto Pieter Coecke van Aelst 1527-1530 Museu Hermitage S. Petersburgo

Quinta-feira Santa - O lava-pés

Imagem
Tintoretto Cristo lava os pés dos seus discípulos c. 1547 Óleo sobre tela 210 x 533 cm  Museo del Prado, Madrid

O silêncio de Jesus

Pedro Lomba Público, 2011-04-21 Pedro Lomba Estamos na semana do processo contra Jesus Cristo. O julgamento de Jesus e o julgamento de Sócrates são os dois momentos fundadores da nossa civilização. Curiosamente, acabaram ambos com condenações à morte. Nenhum deles pode ser considerado um processo justo, nenhum assentou numa acusação legítima ou convincente, nenhum teve um desenvolvimento linear. E, por outro lado, os dois foram processos políticos.
Ao longo dos tempos, teólogos, historiadores, juristas, todos escreveram e discutiram abundantemente sobre cada passo do processo que levou à crucificação de Jesus. O interrogatório de Pilatos. O papel dos sacerdotes. O diálogo entre Pilatos e Jesus sobre a verdade, relatado pelo evangelho de João, no qual o jurista Hans Kelsen viu representada a oposição entre absolutismo e relativismo. A multidão democrática e manipulável clamando pela libertação de Barrabás em troca de Jesus. A questão da realeza de Jesus. A questão da jurisdição romana, …

Nós e os governantes

Imagem

Blood money - The business of abortion

Imagem
1ª sessão em Lisboa  (Auditório do Oratório de S. Josemaría 29 de Abril as 21.30 H)
Localização:http://oratoriosjosemaria.com.sapo.pt/local/orat.htm Reservas por email : <aes.bloodmoney@gmail.com> ou sms : 917 728 789 *filme  em ingles (legendas em espanhol) 3 euros por pessoa (famílias numerosas em que vão ao menos 3 filhos 1 euro por pessoa) 2ª Sessão : Colégio Marista de Carcavelos dia 6 de Maio 21.30
veja aqui o trailer